novembro 22, 2011

O USO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA


Resumo

O presente trabalho teve por objetivo investigar como os professores de Educação Física da Educação Básica da Rede Pública Estadual do Núcleo Regional de Campo Mourão/PR, utilizam-se das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), no processo de ensino e de aprendizagem da disciplina de Educação Física. A pesquisa caracterizou-se como pesquisa descritiva de campo. Para isso, utilizou-se como aporte teórico de autores que discutem conceitos de Tecnologias aplicadas à educação: Kenski (2003, 2007), bem como o impacto que as mesmas causam nas aulas de Educação Física: Pires et. al (2006) e Chanan, Nascimento, Chanan (2006). Para atender o objetivo proposto, entendemos como alternativa a formação continuada dos professores para que possam apreender, assimilar e apropriar-se das tecnologias para que as mesmas possam ser aplicadas em sala de aula na perspectiva da integração com os conteúdos escolares. O debate sobre o uso, a influência e a importância das TIC na Educação Física é fundamental para o crescimento social e possibilita construir novos saberes da área além de atribuir outros valores às TIC, ampliando e aperfeiçoando, a formação e qualificação profissional em Educação Física.

Palavras-chave: Educação Física. Formação de Professores. Tecnologias de Informação e Comunicação.



Para ver o artigo na integra, clique aqui...

BLOGS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA


Resumo

O presente trabalho é resultado de uma proposta de pesquisa desenvolvida para o Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE) do Estado do Paraná, que teve por objetivo oportunizar situações onde professores de matemática pudessem conhecer, produzir, interagir e socializar dúvidas e conhecimentos por meio do uso de blogs; e ainda, nessa utilização, explorá-los de forma crítica a fim de refletir sobre as possibilidades e desafios desse uso para a educação. Para tanto, foi criado um grupo de trabalho com encontros semanais envolvendo três professoras de matemática do Colégio Estadual Lysimaco Ferreira da Costa. Tais momentos foram analisados por meio da metodologia da pesquisa qualitativa (entrevista e observação participante) e fundamentados nos estudos de Brito e Purificação (2008), Kenski (2003, 2007), Santaella (2007), Valente (1999, 2007), Miskulin et al. (2005) e de Bairral (2009). Podemos afirmar que as possibilidades de produção, interação e socialização por meio do uso de blogs estão vinculadas à dinâmica do professor, da maneira como conduz suas pesquisas e publicação.


Palavras-chave: Educação Matemática, Formação de Professores, Blogs, Interação.


Para ver o artigo na integra clique aqui...

outubro 17, 2011

Angel - Jack Johnson

I've got an angel
She doesn't wear any wings
She wears a heart
That could melt my own
She wears a smile...



setembro 21, 2011

A criança que fui

A CRIANÇA QUE FUI CHORA NA ESTRADA-I 

A criança que fui chora na estrada.
Fonte: http://bit.ly/rgDSGX
Deixei-a ali quando vim ser quem sou;
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou.
Ah, como hei-de encontrá-lo? Quem errou
A vinda tem a regressão errada.
Já não sei de onde vim nem onde estou.
De o não saber, minha alma está parada.
Se ao menos atingir neste lugar
Um alto monte, de onde possa enfim
O que esqueci, olhando-o, relembrar,
Na ausência, ao menos, saberei de mim,
E, ao ver-me tal qual fui ao longe, achar
Em mim um pouco de quando era assim.


A CRIANÇA QUE FUI CHORA NA 
ESTRADA-II
Dia a dia mudamos para quem
Amanhã não veremos. Hora a hora
Nosso diverso e sucessivo alguém
Desce uma vasta escadaria agora.
E uma multidão que desce, sem
Que um saiba de outros. 
Vejo-os meus e fora. Ah, que horrorosa semelhança têm!
São um múltiplo mesmo que se ignora.
Olho-os. Nenhum sou eu, a todos sendo.
E a multidão engrossa, alheia a ver-me,
Sem que eu perceba de onde vai crescendo.
Sinto-os a todos dentro em mim mover-me,
E, inúmero, prolixo, vou descendo
Até passar por todos e perder-me.


A CRIANÇA QUE FUI CHORA NA 
ESTRADA-III
Meu Deus! Meu Deus! Quem sou, que desconheço

O que sinto que sou? Quem quero ser
Mora, distante, onde meu ser esqueço,
Parte, remoto, para me não ter.

Fernando Pessoa

julho 03, 2011

Formação Continuada de Professores de Matemática: Possibilidades de interatividade e colaboração online


Resumo

Este artigo apresenta parte de uma pesquisa de mestrado, que teve por objetivo verificar as possibilidades de interatividade e colaboração de professores de matemática em um ambiente virtual, a partir de uma proposta de formação continuada em EaD Online como caminho para oportunizar aos professores uma aprendizagem em matemática com a utilização de diferentes recursos tecnológicos. Para análise dos dados consideramos os estudos sobre tecnologias educacionais de Kenski (2007) e Almeida (2003, 2007); de formação continuada de professores de matemática amparados em Miskulin (2003, 2005); o conceito de interatividade com base nos estudos de Silva (2000, 2003, 2004) e para caracterização dos participantes no espaço virtual, partimos da definição de Scherer (2005). A partir dos referenciais teóricos escolhidos construímos três categorias para análise da pesquisa: interatividade e colaboração entre sujeitos, proposta pedagógica do curso e mediação da professora pesquisadora.

Palavras-chave: Educação Matemática, Educação a Distância, Formação de Professores, Interatividade.


* Artigo apresentado na XIII CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA (comunicação).

Ciaem - XIII CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA



Conferência de Abertura - Professor Ubiratan D'Ambrosio
"... Matemática é a única ciência com capacidade de passar da observação das coisas visíveis à imaginação de coisas não visíveis. Este é, talvez o segredo da força da matemática. Eu penso que a origem da criatividade em todos os campos é aquilo que eu chamo de capacidade ou disposição de sonhar: imaginar mundos diferentes, coisas diferentes, e procurar combiná-las de várias maneiras."Ennio De Giorgi, 1996.

... sonhar: imaginar mundos diferentes talvez seja a característica mais importante da criatividade matemática. 
"Sem fantasia ninguém pode se tornar um matemático, e o que me garantiu um lugar entre os matemáticos dos nossos dias, apesar de minha falta de conhecimento e de forma (palavra), foi a audácia do meu pensamento." Sophus Lie, 1893



Mesa redonda com grandes maestros da Educação Matemática: Eduardo Luria (Rep.Dominicana) presidindo a mesa, Ricardo Losada (Colombia), Cesar Carranza (Peru) e nosso Ubiratan D'Ambrosio.

"Solo me resta manifestar que he sido un hombre afortunado em poder educarme, connocer y trabajar, investigar y hasta pensionarme em matematicas, esta ciencia me ha dado casi todo, logros e grandes satisfaciones y realizaciones, conocimiento real e virtual de personas y sus producciones, y hasta la integración y formación de mi familia, además la oportunidad de parcitipar de reuniones como ésta, que marcan el futuro de lá humanidad." (Ricardo Losada)

junho 24, 2011

junho 14, 2011

Várias de mim...

Sou assim, duas de mim, as vezes três...
Quatro...cinco...seis, sou uma por mês.
Me diversifico, tem horas que grito
Vivo num conflito, mostro ao mundo minha dor.
Outras horas, só sei falar de amor
A mais romântica, melodramática 
Estática, chorosa e nervosa
Carente e decadente vingativa e inconsequente 
Ai quando menos me apercebo
Me transformo em mulher cheia de medo 
Cheia de reservas, coberta de sutilezas
Séria e sem defesa, no minuto seguinte
No papel de mulher fatal, viro logo a tal
Ai sou dona do mundo...
Segura e destemida
Altiva e atrevida 
Rasgo os meus segredos ao meio 
E exponho num roteiro 
De poesia ou texto agrido, 
Inflamo!!
Conto o que ninguém tem coragem de contar 

Explico detalhes que é melhor nem lembrar 
Sou assim, várias de mim, sorriso por fora, angustia toda a hora
Por dentro um tormento, no rosto nenhum sofrimento 
No corpo uma explosão de prazer, nos olhos, o desejo deixo perceber 
Melhor nem me conhecer...
Fique com as minhas letras, com as minhas palavras
Na vida real sou bem mais complicada, sou mil...
E quem tentou, descobriu
Que viver a meu lado é viver dentro de um campo minado
Prestes a explodir... mas quem esteve nele... nunca quis fugir...



(me identifiquei... roubei do tumblr da @jigglypuf_ )

maio 05, 2011

06 de maio - Dia Nacional da Matemática



Esta é uma homenagem da Secretaria
de Estado da Educação do Paraná, em uma parceria entre a Coordenação de Multimeios e o Portal Dia-a-Dia Educação, para o Dia da Matemática.
O dia Nacional da Matemática é comemorado no dia 06 de maio. A data foi instituída em 2004 pelo projeto de Lei n. 3.482/2004, de autoria da deputada professora Raquel Teixeira, que foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Educação e Cultura e encontra-se, desde 2008, na Comissão de Constituição e Justiça para homologação final.
A intenção da data comemorativa é divulgar a Matemática como área de conhecimento, sua história, suas aplicações no mundo e sua ligação com outras áreas de conhecimento, buscando derrubar o mito de que aprender Matemática é difícil e privilégio de poucos.
O dia 06 de maio foi escolhido para essa celebração porque coincide com o aniversário de nascimento de Malba Tahan...



Para saber mais acesse: 
Dia Nacional da Matemática
Homenagem a Malba Tahan

abril 18, 2011

abril 11, 2011

e lá se vão 6 anos...


adoro ler meus posts antigos...

Fonte: http://goo.gl/tnyLv 
minha primeira tímida postagem (não publicada) data de 24 de abril de 2005... 
sim são 6 anos... curioso lembrar dos layouts e das tantas aprendizagens que vivi de lá para cá...
aqui escrevo de tudo... o que sinto, penso, vejo, acredito… desabafo minhas frustrações, compartilho minhas coisas, registros, trabalhos,  coisas especiais, informo e transformo minha vida em palavras para que aqui fiquem eternizadas...

assim, no mês de aniversário do blog sinto-me feliz por ter aprendido o prazer de escrever e de colaborar, esse é sem dúvida, meu maior presente... por aqui poder viajar...


abril 05, 2011

Verdade - Carlos Drummond de Andrade

Fonte: http://migre.me/4bQfe

A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.
Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.
Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.
Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

abril 01, 2011

QR Code

O QR Code é uma novidade presente em muitos espaços. Talvez alguns já o tenham percebido.

Fonte: urbanstage

Trata-se de um 
Código de Barras em 2D, criado pela empresa Japonesa Denso-Wave, em 1994. O QR vem de Quick Response, pois o código pode ser interpretado rapidamente, mesmo com imagens de baixa resolução, feitas por câmeras digitais em formato VGA, como as de celulares. O QR Code é muito usado no Japão. 
Inicialmente foi usado para catalogar diferentes partes na construção de veículos. Hoje é usado por uma grande variedade de indústrias.
Esses códigos estão muito comuns em revistas e propagandas, onde usam-se os códigos para guardar endereços e URL, além de informações pessoais detalhadas, no caso de cartões de visitas, facilitando a inserção de dados em agendas de telefones celulares.
O uso de códigos QR é livre de qualquer licença.
Qual a diferença entre o QR Code e o código de barras comum?
Enquanto o código de barras é uma série de faixas escuras e claras, acompanhadas de uma numeração. Essa combinação só pode ser lida por um scanner que emite um raio vermelho. O aparelho lê a informação e a transfere para um computador, que converte tudo em números e, baseado no código e nas informações cadastradas em um banco de dados, nos apresenta informações que podem ser entendidas por nós. O QR Code é constituído de uma série de códigos e caracteres decodificados em uma imagem quadrada, dispondo de uma alta capacidade para armazenar dados.
Fonte: Wikipédia
Para gerar um QR é muito simples, são vários os geradores online disponíveis. Uma sugestão é o QR-Code Generator. Basta adicionar o link, texto, número de telefone ou o que deseje, para ser gerado o código.



qrcode
QR do meu blog

Para leitura do conteúdo codificado em um QR, a pessoa deve dispor de uma câmera em um telefone celular e de um programa para leitura do código bidimensional. Deve-se tirar uma foto da imagem pelo aplicativo que a converte imediatamente. Estou usando o QuickMark

A ideia é muito legal!!!

Para saber mais, veja TechTudo.

março 13, 2011

13 de março...

I can see clearly now the rain is gone.
I can see all obstacles in my way.
Gone are the dark clouds that had me blind.
It's gonna be a bright (bright)
bright (bright) sunshiny day.

março 09, 2011

atrasos...

Vou contar que esse ano tá complicado...

Começou com tantos tropeços que acho que está na hora de acontecer alguma coisa boa para compensar!!!



Indignada com a ignorância de uns e outros... como diz o ditado "o pior cego é aquele que não quer ver".

março 04, 2011

Projeto Condigital

Ano passado tive a oportunidade de participar de um projeto da Secretaria de Estado da Educação do Paraná (SEED) com a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (SETI), a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Universidade Estadual de Londrina (UEL) e o Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (LACTEC) onde foram produzidas diferentes mídias (áudios, vídeos, experimentos e simuladores) para serem usados na aulas de matemática.


Essas mídias foram organizadas em três páginas de integração de conteúdos:


Álgebra, números e funções;
Geometria e medidas
Tratamento da informação.


É muito gratificante ver o resultado final...

A série de vídeos “O Mundo da Matemática” com 14 episódios, os personagens estudam Matemática, sempre partindo de interesses pessoais ou necessidades escolares. Seus episódios podem ser encontrados no banco de objetos do Portal do Professor:



Episódio 1 - Dietas - Quatro mil possibilidades

A série “Matemática na História”com 03 episódios, utiliza-se da História da Matemática para problematizar conceitos referentes aos diferentes campos numéricos. Discute-se, por exemplo, a origem dos números, as diferentes formas de contar e registrar quantidades, o conceito de base numérica, o que são os números irracionais, entre outros.

Episódio 1 - A matemática na história
Episódio 2 - A matemática na história
Episódio 3 - A matemática na história


As duas séries também podem ser encontradas no banco de vídeos do Portal Dia-a-dia Educação (página da TV Multimídia). http://migre.me/3QQr0 e http://migre.me/3QQxM.


Os áudios do programa Matemática ao Pé do Ouvido são objetos de aprendizagem que apresentam situações narradas no formato de programa de auditório, no qual o professor de Matemática recebe visitantes que conversam sobre conteúdos matemáticos. O programa, que é realizado em uma escola, conta também com um aluno-repórter que se desloca a diferentes locais e situações, entrevistando pessoas. O tema das entrevistas diz respeito às temáticas apresentadas no estúdio.


Ouça... 
Matemática ao pé do ouvido : História dos Números - Parte 1
Matemática ao pé do ouvido : História dos Números - Parte 2
Matemática ao pé do ouvido : Fractais - Parte 1
Matemática ao pé do ouvido : Fractais - Parte 2
Matemática ao pé do ouvido : Matemática Financeira - Parte 1
Matemática ao pé do ouvido : Matemática Financeira - Parte 2


Ainda tem os simuladores, softwares destinados ao auto estudo e os Experimentos Educacionais produções hipertextuais com a finalidade de orientar e sugerir atividades de experimentação e resolução de problemas voltadas aos conteúdos do Ensino Médio.


Fonte: Matemática/SEED-PR

fevereiro 08, 2011

Mudança...

Mude,
Mas comece devagar,Porque a direção é mais importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. 
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas. 
Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias. 
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. 
Durma no outro lado da cama... Depois, procure dormir em outras camas. 
Assista a outros programas de tv, compre outros jornais... leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida. 
Ame a novidade.
Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia. 
O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida. Tente. 
Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental... 
Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco. 
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só. 
E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. 
Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. 
Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
vale a pena!

Em tempo...

Erradamente atribui o crédito do poema a Clarice Lispector, porém conforme comentário em anexo, descobri que pertence a Edson Marques. Parabéns ao autor pela brilhante reflexão!!!


(plágio do profile do orkut do Zan, que eu adorei... )