outubro 23, 2012

F. Nietzshe em "O eterno retorno" A Gaia Ciência - 341


E se um dia ou uma noite um demônio esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse:
"Esta vida, assim como tu a vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez mais e ainda inúmeras vezes; e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indizivelmente pequeno e de grande em tua vida há, de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!" - Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasse assim? 
Ou viveste alguma vez um instante descomunhal, em que lhe responderias:
Tu és um Deus, e nunca ouvi nada mais divino!". 
Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, asim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse; a pergunta, diante de tudo e de cada coisa: 
"Quero isto ainda uma vez e ainda inúmeras vezes?" Estaria como o mais pesado dos pesos sobre teu agir! Ou então, como terias de ficar de bem contigo mesmo e com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação?"

outubro 05, 2012

Anima Mundi Curitiba

Entre 21 e 27 de setembro ocorreu em Curitiba o Festival Anima Mundi. Festival que já é considerado o segundo maior do mundo no gênero e importante referência internacional do cinema de animação.

Com ele trouxe uma seleção de destaques do cinema animado nacional e internacional, além de uma extensa programação de curtas e longas-metragens, oficinas gratuitas e um bate-papo com o experiente diretor brasileiro Marcelo Marão.

Além de ver algumas animações, pude também literalmente colocar a mão na massa, por meio das oficinas oferecidas na programação.
Oficina de Massinha - Anima Mundi


Para quem gosta de brincar com as habilidades manuais, a oficina de Massinha permitia que as pessoas criassem personagens e cenários utilizando massinhas. Após, é realizada uma montagem com gravação quadro a quadro, utilizando o software Muan.




TV Monstro do Edney
Personagem do Cleverson
Na oficina de Pixilation, o participante é o personagem principal com direito até a figurino. São filmados quadro a quadro pessoas e objetos, criando alguns efeitos especiais. A montagem final resulta em uma história divertida, na qual as pessoas se transformam em animação.

No Zootrópio, os participante podem visualizar a utilização de desenhos no papel para criar o movimento. São 16 desenhos que, ao serem girados, ganham vida por meio de uma sequência de imagens. 
Zootrópio
Stopinski no Zootrópio
Achei a proposta das oficinas fantástica, são recursos de simples acesso. Penso que é fundamental trabalhar com esse tipo de linguagem na escola com os alunos, com atividades de criação de roteiros, de escolha de personagens e de organização de todo o processo de produção.

Abaixo, disponibilizo minhas "animações" oriundas da Oficina de Massinha:

Aranha Monstro (Bruna e Egui):


video

Televisão Monstro (Cleverson, Ediney e Egui):


video

Para saber mais veja:
Notícia veiculada na mídia da região.
Sobre o festival Anima Mundi.

outubro 04, 2012

Games e Educação: Conexões possíveis…


Minha contribuição para o Caldeirão de Ideias...

Quando recebi o convite do Robson Freire para escrever algo para o projeto “O Caldeirão de Ideias Convida“, fiquei pensando em algo que fosse interessante a trazer.

Veio-me a mente uma experiência que recentemente vivi na escola, na semana que antecede o início das aulas do segundo semestre (algo que aqui nas escolas do PR, chamamos de Semana Pedagógica).

Uma psicopedagoga foi chamada para palestrar aos professores e falar um pouco sobre o uso de recursos tecnológicos na educação. Do meu ponto de vista, a tragédia começou quando a profissional comentou sobre a influência dos games na vida dos jovens e sobre o controle que os pais deveriam ter na escolha dos games que os filhos jogam. A profissional citou o caso de um neto que teria matado a avó, por ela ter desligado seu aparelho de vídeo game.

Não sei o que me preocupou mais, se foi o que considero senso comum por parte da profissional, ou a aceitação do fato pela maioria dos presentes.

Pensei comigo, os videogames são parte absoluta de nossa vida… Estou sempre me distraindo com um ou outro.

Mas, será que um jogo violento, pode tornar uma pessoa violenta?

Veja mais em: http://caldeiraodeideias.wordpress.com/